segunda-feira, 5 de novembro de 2007

MEDITAÇÃO MATINAL II


Ok, não consegui cumprir meu objetivo... Mas cá estou novamente. Dessa vez sem promessas. Quem têm uma promessa hoje é a Palavra.

Capítulo 54 do livro do profeta Isaías.

Vou citar apenas o versículo 13, mas o capítulo todo é um corolário de promessas para Sião. Como nós, a igreja, somos o novo Israel essas promessas se aplicam a nós também:


"E todos os teus filhos serão discípulos do SENHOR; e a paz dos teus filhos será
abundante..."


Creio que a maioria das pregações que abordam esse tema fazem uma interpretação literal e estão corretissímas. Realmente essa passagem se refere à Israel e no futuro, após o advento do Messias. Eu contudo vou trazer isso para a nossa presente era. Podem achar estranho, é verdade, ainda mais quando olhando para esse mundo vemos tanta violência e crimes. Podemos nos perguntar: ONDE ESTÁ ESSA PAZ???

A resposta é simples. Como essa promessa diz respeito à Israel após a restauração, logo podemos chegar a conclusão de que no momento em que nós formos Restaurarmos também poderemos desfrutar essa PAZ.

Simples não? Basta ter Jesus; que é quem provoca essa restauração no homem, e teremos a paz. Afinal Ele é o príncipe da paz...

Para encerrar essa meditação vou postar a letra de uma canção do grupo Voz da Verdade que coincidentemente estou a ouvir enquanto escrevo, e que fala exatamente disso. Só Jesus têm a PAZ!


Basta ter Jesus
As angústias eram tantas
Que eu
pensava em voar
Ter as asas como pomba
No deserto descansar
E fugir
da tempestade
E do vento violento
Mas meu pobre coração
Não
encontrava a paz
Mas alguém me falou
Que Jesus tem tanta paz
E que
em qualquer lugar
Nele posso descansar
Basta ter Jesus no coração
Prá ter paz em qualquer lugar
Basta ter Jesus no coração
Prá ter paz
em qualquer lugar.

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

MEDITAÇÃO MATINAL I


Mais uma vez estamos iniciando outro mês. E coloquei um propósito no meu coração para esse mês; meditar em um trecho bíblico a cada manhã. Se não me engano já havia tomado essa decisão há algum tempo, mas não fui persistente o bastante para dar prosseguimento. Quem sabe agora eu consiga...

Como primeiro texto eu escolhi uma passagem escrita no livro de Eclesiastes, capítulo 9 e versículo 6.

Vai, pois, come com alegria o teu pão e bebe com coração contente o teu vinho, pois já Deus se agrada das tuas obras.


Nessa passagem o pregador, fazendo uma alusão apenas aos aspectos terrenos da existência acaba por deixar margem para que vejamos essa frase como um convite ao hedonismo, gozar os prazeres da vida aqui e agora. Basta vermos que alguns versículos antes ele afirma que tudo na vida acontece aos justos e aos injustos e também destaca a brevidade da existência. Assim podemos afirmar que ele quis dizer exatamente aquilo que disse. Que nós enquanto vivos devemos gozarmos as bençãos de Deus.

Contudo, assim como em outras passagens, podemos tomar a liberdade de interpretar de forma espiritual ou simbólica esse texto. Então encaremos essa frase como sendo uma tipologia do mundo espiritual. O que muda?

Vamos atribuir um determinado valor simbólico aos elementos da frase. Assim o pão e o vinho passam a simbolizar as benesses Divinas. E notem que esse é um símbolo correntemente aceito.
Feito isso ao voltarmos à frase em apreço percebemos que o versículo acaba por ganhar uma nova dimensão. Nessa nova interpretação não mais há um caráter terreno e portanto essa frase perdeu aqui seu aspecto de convite hedonista que tinha no princípio.

Sendo o pão e o vinho aspectos espirituais da vida cristã, vemos nessa passagem um conselho muito justo para os nossos dias. Se formos analisar, muitas das pessoas que hoje se dizem cristãs estão inconscientemente vivendo uma vida que está em desconformidade com a vontade de Deus. Quase podemos dizer que estão interpretando esse versículo de forma literal. Comem, bebem, se alegram apenas com as coisas materiais. Não estou dizendo que isso não seja correto ou bom. Realmente é muito bom gozarmos daquilo que Deus deixou para que desfrutássemos. Contudo devemos sempre ter em mente que há algo além disso. A vida não se resume a nossa existência terrena. Nós temos uma alma e ela anseia pelo alimento espiritual.
Existem em nossas igrejas muitas pessoas que vivem uma vida repleta de bençãos materiais: carros novos, casas luxuosamente mobiliadas, roupas vistosas, etc. Contudo as suas almas estão vivendo na miséria. Têm uma vida espiritual nula. Almas mal-alimentadas...

Mas e o que alimenta a alma? É o pão e o vinho, mas na forma espiritual. Convém tirarmos todos os dias alguns minutos para nos alimentarmos da Palavra de Deus.
Sim. A leitura bíblica é muito importante. No mesmo patamar se encontra a oração, e ainda pra completar a tríade, o louvor a Deus.
Convém reservarmos alguns momentos para conversarmos com Deus, isso pode soar estranho nesses dias tão corridos, mas é uma necessidade vital.
Procedendo dessa maneira estaremos cultivando uma vida onde nos alimentamos corretamente, com alegria e coração contente de pão e vinho celestiais. E o resultado será uma alma satisfeita e livre das chamadas doenças modernas, que nada mais são do que doenças da alma: Depressão, Ansiedade e outras neuroses mais.